O poder da meditação

A meditação é uma técnica com a sua raíz na tradição oriental, desenvolvendo habilidades como a concentração, o relaxamento e o foco no momento presente.

Apesar da ideia inicial que nos ocorre quando pensamos em meditação ser a de imaginarmos grandes mestres ou monges budistas a meditar, que pode transmitir uma ideia de complexidade, está longe da verdade. De facto é necessário seguir algumas regras básicas de postura ou de respiração, mas sobretudo o mais complicado é sem dúvida a regularidade da prática ao longo do tempo, permitindo revelar as vantagens que esta prática pode trazer para sua vida, quer sejam 5 ou 30 minutos ou até mais.

O ideal é começar com uns poucos minutos e aumentar gradualmente o tempo de prática permitindo tornar-se um hábito na sua vida. Aí sim começará a perceber as alterações que ocorrem em si, quer seja a um nível físico, mental ou até na sua relação com as pessoas ao seu redor, família, amigos ou colegas, criando maior empatia e até na nossa ligação com a natureza que pode começar com uma atenção especial (como técnica meditativa) ao ar que respiramos, relaxando a inspiração e expiração, tornando-as cada vez mais pausadas e profundas, permitindo assim relaxar a mente e libertando o corpo de tensões.

 

Existem vários tipos de meditação, entre alguns, o “Zazen”, uma meditação zen budista que estuda e aprofunda o conhecimento do eu interior, o “Kinhin” é uma forma de meditação realizada em movimento, geralmente com uma caminhada, onde o foco principal é regular os passos com a respiração, pode ser realizada em ambiente interior em círculos ou então no exterior de uma forma mais ampla.

A Meditação Transcendental induzida e orientada através do som, a Meditação Guiada, o Qigong - prática energética incluída na Medicina Tradicional Chinesa, o Tai Chi – arte marcial que utiliza não só um conjuntos de posturas e movimentos, como também técnicas meditativas e de visualização e, como exemplo, temos também o Yoga, com os seus exercícios respiratórios e posturas bem definidas, desenvolvendo a flexibilidade e uma mente mais focada.

 

A Meditação Guiada, acima indicada, é um tipo de meditação que possui um acompanhamento de terceiros, normalmente um orientador de meditação, quer seja presencial ou não.

A meditação guiada pode ser conduzida através de som, vídeo e/ou instrução verbal.

Esta variante de meditação permite não só iniciar-se mais facilmente na meditação, como também alcançar um relaxamento e “awareness”  mais profundo e consolidar uma prática regular.

Mesmo com pouca ou nenhuma prática o orientador da sessão meditativa instrui sobre que pontos estar mais atento, permitindo que a mente não divague tanto, reduzindo os momentos de distração sobre pensamentos que se fixam na nossa mente, de preocupações, mágoas passadas e ansiedades presentes ou futuras.

Existem imensos vídeos no YouTube e aplicações gratuitas que fornecem gratuitamente os seus conteúdos de meditação guiada.

O truque para perceber que método se adequa melhor a si, quer seja o vídeo, música ou um orientador de meditação é experimentar as várias plataformas, as aulas, os vídeos, músicas e perceber qual se adequa melhor a si, quer seja pelo tempo que tem disponível, quer seja pelos objectivos e gostos com que mais se identifica.

O objectivo principal, como já referi, é fortalecer o hábito, a regularidade. A partir do momento em que consegue encontrar tempo no seu dia para praticar, torna-se algo tão fluido como tomar um duche ou escovar os dentes e, aí sim, pode ir aprofundando a sua prática, quer seja continuando com a meditação guiada, ou então experimentando a mais popular técnica meditativa actualmente, a Mindfulness.

 

A Mindfulness é uma meditação sem qualquer conotação tradicionalmente religiosa ou espiritual, sendo entendida como uma meditação mais científica. Não utiliza mantras, nem tem ligações com práticas budistas, hindus ou taoistas.

O seu objectivo está em concentrar a sua atenção para as sensações do seu corpo, principalmente a respiração, utilizando-a como uma âncora sempre que a mente começa a ruminar ou a fixar algum pensamento, permitindo um foco mais fortalecido não apenas durante a prática, mas também no dia-a-dia, como que um exercício mental que realizamos para nos mantermos em forma.

As vantagens da meditação são inúmeras, a mais conhecida é efectivamente a redução dos níveis de stress, mas existem outros benefícios na prática regular de meditação, tais como um reforço na imunidade, a melhoria na qualidade do sono, na postura, o reforço do aparelho respiratório, a diminuição da sensação de dor (sobretudo nos casos de dor crónica).

Está também comprovado que ajuda na manutenção da saúde do nosso cérebro, evitando a sua degradação acelerada com o avanço da idade, desenvolvendo novas conexões e aumentando a sua plasticidade.

Na gestão de esforço e realização de tarefas permite manter-se mais atento e focado no momento presente evitando a procrastinação e flutuações de humor e ansiedade por não as ter realizado em tempo útil.

 

Apesar de não ser um tratamento por si só, a meditação funciona como um parceiro valioso, complementando tratamentos já prescritos do foro mental/emocional/físico.

A sua importância é verificada na sua presença em todo o mundo e nos mais variados aspectos da nossa vida social, quer seja na educação, na saúde, na vida pessoal ou em ambiente corporativo, na gestão de conflitos ou multitasking.

 

Experimente e surpreenda-se.

Pedro Namora

Acompanhe-nos

  • Facebook
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now